Eu não sei o que digo e acho que Skinner também não sabia.


Quando que, por um insúbito momento, irei redigir-me da maneira correta ao meu próprio eu? E se todos ousassem percorrer no instante lastimável tudo o que for tangivel à felicidade de quem crê na vida?
Não odeio, não venero. Apenas me calo diante de tanta incerteza existente naquilo que todo mundo vê. Que corram os cavalos, que desçam as estrelas. Estou cabisbaixa diante de tantas espúrias cotidianas. Eu sei, porém, que você acha que tudo o que parece não brotar folhas verdes de papel não é merecivel de algum milésimo de segundo do seu precioso tempo, mas saiba que todos os seus conceitos até hoje concebidos por este grande marasmo de feses, que está acima de seu pescoço, são puramente ilusórios por que você nada vê, nada sente e nada sabe sobre tudo o que está realmente acontecendo a sua volta.

Cecília Richter

Anúncios

Sobre Richter

A realidade não me é conveniente.
Esse post foi publicado em de minha autoria, textos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s