É preciso não ter medo

É preciso não ter medo
É preciso ter a coragem de dizer

Há os que têm vocação para escravo
Mas há os escravos
Que se revoltam contra a escravidão.
Não ficar de joelhos
Que não é racional renunciar a ser livre.
Mesmo os escravos por vocação
Devem ser obrigados a ser livres
Quando as algemas forem quebradas.

O homem deve ser livre
O amor é que não se detém
Ante nenhum obstáculo
E pode mesmo existir quando não se é livre.
E no entanto ele é em si mesmo
A expressão mais elevada
Do que houver de mais livre
Em todas as gamas do humano sentimento

Ói Nóis Aqui Traveis
O Amargo Santo da Purificação
Peça sobre Carlos Marighella

Anúncios

Sobre Richter

A realidade não me é conveniente.
Esse post foi publicado em arte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s