Que lembranças Brigitte Bardot tem da sua juventude?

Ela detestava quando os homens não entendiam
O significado do seu “não”.
Tinham uma juventude naturalmente bela
– tanto eles quanto ela –
Mas ela odiava quando eles achavam que eram espertos
Quando queriam provar pra eles mesmos
Que já não eram mais crianças
Mas ela sabia que se desse o seu “não”
Eles entregariam na hora suas ingenuidades
(uma ingenuidade viril sempre se rende)
Então quase que edipicamente
Sempre diziam os rapazes:
“O ‘não’ dela significa que ela não quer.”
Pensou ela, enquanto se olhava no filme
Que a fez tornar o maior objeto sexual de sua época
Como ela queria ter tido
O prazer de mostrar para aqueles moços de corpos atléticos
O quanto não sabiam nada sobre uma mulher
Antes de sua pele murchar de vez
Seu corpo perder a sua escultural forma
E o seu andar sutilmente flutuante
E o seu olhar altamente hipnotizante
Queria ter tido a oportunidade de dizer
Para aqueles meninos tolos
Que quando ela realmente não quisesse
Ela não iria dizer “não”
Ela simplesmente não estaria ali.

Cecília Richter

Anúncios

Sobre Richter

A realidade não me é conveniente.
Esse post foi publicado em de minha autoria, pensamentos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s