Mora-dores de rua

Nicolas-Ritter_2

Subjetividades autopoéticas

São sutilmente amedrontadas

Corpos e espaços

São diariamente moldados

Com um autoritarismo consentido

Autonomias são capturadas

Mas de repente olho pro lado

E vejo que nem tudo pode ser adestrado

Mais que existir, é preciso resistir!

A dignidade humana

Não é uma égua a ser domada

As vidas são obras de arte

E não podem ser comercializadas

A rebeldia que jorra

Violentamente nos nossos corações

Não pode ser e nunca será

Pacificada

 

Cecília Richter

Anúncios

Sobre Richter

A realidade não me é conveniente.
Esse post foi publicado em de minha autoria, poesias. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Mora-dores de rua

  1. jamilsp disse:

    a voz sofrida das ruas ecoa nos becos dos corações silenciosos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s