Arquivo da categoria: textos

Nossa Arte Transgressora Dadaísta

Quem somos? Somos aquelxs que são contra os que acham que tem o direito de nos definir. O que queremos? Instaurar o caos. Romper com toda e qualquer linearidade. Viemos mostrar nosso cu para os grandes embaixadores do moralismo, para … Continuar lendo

Publicado em arte, de minha autoria, textos | Deixe um comentário

Esquizoanálise da Subversão

Esse tal de Estado Democrático de Direitos é o mesmo que adestra desastres. Essa pátria que me pariu vomita ordem e solidão. Só lhe dão não. Os panópticos excitam carrascos e o PIB é puro punheterismo falocêntrico. Sobreviver sem tornar-se … Continuar lendo

Publicado em de minha autoria, textos | Deixe um comentário

Para os ricos a copa, para os pobres a internação compulsória!

O Projeto de Lei, de autoria do deputado federal Osmar Terra (PMDB), que prevê a internação compulsória de usuários de crack, é um verdadeiro retrocesso em termos de políticas públicas e de tudo que já foi conquistado com muita luta … Continuar lendo

Publicado em de minha autoria, textos | 4 Comentários

A poesia não pode perder o seu caráter libertador

Sobre quem põe o formalismo poético como prioridade, lembre-se de que a poesia não se trata de um trabalho científico. A poesia é a forma mais pura da alma humana, por isso é importante que a essência de uma obra … Continuar lendo

Publicado em de minha autoria, textos | Deixe um comentário

Ônibus lotado.

Ônibus lotado, linha universitária, horário de pico. Vida de estudante brasileiro que tenta ser um pouco mais Mesmo sem saber aonde isso tudo irá levar. Ela, ansiosa. Na cabeça preocuções mil e substâncias psicoativas. Ao lado dela sentou um rapaz: … Continuar lendo

Publicado em de minha autoria, textos | Deixe um comentário

Um novo tempo se inicia em mim

– Juro nunca mais beber – e fez o sinal-da-cruz com os indicadores. Acrescentou: – Álcool. O mais, ele achou que podia beber. Bebia paisagens, músicas de Tom Jobim, versos de Mario Quintana. Tomou um pileque de Segall. Nos fins … Continuar lendo

Publicado em textos | Deixe um comentário

Eu não sei o que digo e acho que Skinner também não sabia.

Quando que, por um insúbito momento, irei redigir-me da maneira correta ao meu próprio eu? E se todos ousassem percorrer no instante lastimável tudo o que for tangivel à felicidade de quem crê na vida? Não odeio, não venero. Apenas … Continuar lendo

Publicado em de minha autoria, textos | Deixe um comentário