Desabafo

Maldita lógica de homogenização que segrega e exclui o que é fora do padrão, patologiza os desejos e faz com que as pessoas reprimam umas as outras e a si mesmas o tempo todo. Acho que isso de impedir que o outro possa ser quem ele realmente quer ser tá no cerne de todo sofrimento humano. Ou pelo menos na maioria deles. É tão dificil assim perceber que esse processo perverso de punição e exclusão com aquele que fica a margem que o torna marginal? Falo da sexualidade, das instituições, da doença mental, da criminalização da pobreza.

E eu também tô de saco cheio dessas teorias psicológicas importadas das Zoropa e dos States que pouco ou nada tem a ver com o aqui e agora. Teóricos burocratas grandes masturbadores mentais nas suas salinhas com ar condicionado que acham que o mundo lá fora é uma caixinha de Skinner: parem de querer explicar e patologizar as manifestações humanas, desçam do pedestal e se permitam aprender com as pessoas! Não tem nada mais rico que o aprendizado fruto de uma relação de ser humano para ser humano, na troca horizontal, no olho no olho. Aos psicológos “neutros” falocêntricos que – mesmo sem se dar conta – reproduzem a lógica perversa e massificadora do sistema neoliberal: quero que todas suas onipotências cientificas e suas verdades absolutas explodam. A verdade está na pele suada do povão, nos dedos calejados da criança que trabalha 12 horas por dia na lavoura, no sangue da travesti esfaqueada que jorra pela calçada, nos adoecidos pelo capital que são trancados em hospícios (lugar que enlouquece até o mais são), nos presídios que punem quem também é vítima e nos milhares de microfascismos que diariamente doutrinam e adoecem nossas humanidades.

Quero que essas dores cotidianas gritem nas pixações de todos os muros de todas as grandes megalópoles, que jorrem histericamente nas veias de todo peito que pulsa e se rebela contra a tentativa de adestrar nossa revolta e que todas essas injustiças institucionalizadas (que vemos mas não enxergamos) se tornem pólvora de grandes explosões de libertação de corpos, mentes e vidas. Chega de travestir vontades e necessidades, chega de subjetividades amedrontadas, chega de padrões identitários pré-moldados! Vamos deixar a dignidade rebelde aflorar violentamente por todos os poros e avenidas!

Ciça Richter

Anúncios

Sobre Richter

A realidade não me é conveniente.
Esse post foi publicado em de minha autoria, pensamentos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s